quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Ano Novo, Vida...

Quase entregue as moscas, resolvi vir aqui falar um pouco sobre o ano.

Ele tem 12 meses, 52 semanas, 365 dias...

É isso.



Hehehehe, idiota. Na verdade, queria só falar dos planos pro ano que vem. Quer dizer, não exatamente dos planos, mas do que é bom focar pra se dar bem em 2010.

Estilo CQC, aí vai meu Top Five:

1) Faça planos - Ainda que não dê certo, quando você luta por um objetivo, é muito mais fácil ter ânimo pra tentar alcançá-lo. Planos são a forma mais concreta de realizar os sonhos e se dar bem na vida.

2) Faça amigos - Aí vc fala "ahh, mas eu já conheço muita gente, não preciso de mais". Precisa sim! Ter amigos é sempre bom. Amigos solteiros então... Tenha pessoas que te acompanhem, nas furadas e nas boas. É certeza de ter histórias pra contar pros filhos.

3) Faça uma limpeza no seu armário - Tá, ficou meio vago isso. Mas é assim. Seja no nosso armário de verdade ou no sentido figurado, tirar coisas velhas é sempre bom. Você consegue achar tudo com mais facilidade, além de dar espaço pra coisas novas. Então, seja no seu quarto, ou na sua vida, tire o que não serve mais.

4) Dê valor as pequenas coisas - Pra não chegar no dia 31 de dezembro do ano que vem e falar: "Po, não aconteceu nada demais na minah vida". Comoassim não??? Vc tá vivo, meu bem, sorria!

5) Seja mais presente - Seja um filho(a), neto(a), irmã(o), sobrinho(a), amigo(a), primo(a), isso tudo aí, que está sempre ao lado dos queridos. É bom ser abraçado por quem te ama de verdade. E eles sempre vão querer o seu bem, tenha certeza disso.





Beijos e até ano que vem

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Assassinaram o português...



















Oi gente (ou oi pra mim mesma). Esse post vai ser sobre o Miguxês, ou seja, a nova (ou não tão nova assim) "língua" que tem tomado conta dos posts "fofos" do Orkut e afins.

Mais uma vez, me inspirei em uma discussão que aconteceu em uma comunidade que eu faço parte (Meninas Black Power Pride!!) , na qual chegamos (na verdade, Tw chegou) a conclusão de que, quem escreve assim, é porque não sabe escrever em português de verdade! (#prontofalei)

E se a internet, que tem sido uma ferramenta cada vez mais abrangente, permite essas coisas, o que será de nós no futuro?! Será que a linguagem "fofa" vai invadir a sala de aula e fazer de todos nós MiGuxXxoSs

Tá, beleza, eu exagerei agora, mas peraí,né... Isso é coisa de gente burra, que não tem o que fazer. Essa "linguagem" é tosca e só faz as pessoas parecerem ainda mais idiotaa.

Se você faz parte da tUrMaAa que escreve em Miguxês, faça um esforço pra parecer menos idiota e burro e escreva num português pelo menos "entendível". Não precisa ser nenhum professor Pasquale, mas faz bem pra quem escreve e pra quem lê, o uso de palavras certas e coerentes.

FiK a dIk prAh VUxXxeixXx amiGuinhUxXx Ki KErem SE peXXOAxXx MeLhoRexXx I 1 POkinHU + intelIGenTIxXx au escRevE......

BjuXxXx


Ps: Conversor de texto para miguxês em http://www.coisinha.com.br/miguxeitor/

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Ahhh, que saudades da infância...


Estava planejando este post desde dia 12, mas alguns problemas me impediram de publicar.


Então... Tava pensando... Parece que foi ontem que eu ganhava presentes de Dia das Crianças. Aliás, eu ganhei presente até os 18 anos, depois disso meu pai disse que era abuso da minha parte. Anyway, queria falar um pouco da minha infância aqui. Nem é falar sobre ela não, mas colocar em forma de lista tudo o que me marcou, especialmente até os 12 anos de idade.


Pra brincar:

-Pique alto, pique-cola, pique-cola americano, pique parede, alerta cor, polícia e ladrão

-Desfile de moda, casinha, cozinha, Barbie, boneca, escolinha...

-Futebol, pipa, bandeirinha, bolinha de gude (quando eu morava com meus primos!)

- Mola, elástico, pular corda, pega-peixe, Jogo da Vida


Pra comer

-Mc Lanche Feliz

- Pirulito, chup-chup, amendoim, jujuba, snake...


Roupas da..

-Bicho Comeu, Mad Cat, Club 15 da C&A, Mesbla...


Pra ouvir

-Sandy e Junior, Angélica, Xuxa, Chiquititas


E pra assistir na TV:

- Valentes Cowboys de Moon Mesa, Sailor Moon, Power Rangers, Mr. Bumpy, Pokemon

- Jovens Guerreiros Tatuados de Beverly Hills, Jaspion,

- Tv Colosso, Bambuluá, Caça-Talentos, Patty Beijo, Mariane

- Hugo, Castelo Ra-Tim-Bum, Ra-Tim-Bum, Glub Glub, Caverna do Dragão...




Aiii, foi uma época muito boa. Era feliz e não sabia.



E vc?

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Tudo errado, tudo errado...

Antes de tudo: este é um post desabafo.

Tá, então. Pé na bunda. Minha mãe diz que essa expressão é tão feia que parece até palavrão. E se palavrão é, muitas vezes, uma coisa que ofende e machuca, o pé na bunda também é um pouco disso. Faz a gente sofrer. Ofende de verdade. E o pé na bunda não acontece ó no fim de relacionamentos não. As vezes, a relação nem começou e você já toma uma "bota". Pelo menos foi isso que aconteceu comigo essa semana...

Aliás, essa semana foi cheia. Tomei várias patadas, sem dó. De alguns processos de Trainee que eu estava tentando, de uma vaga de estágio (que por sinal eu estava bem confiante), do vestibular da UERJ e até da médica que me atendeu. E é tão dificil, pelo menos pra mim, conviver com essas coisas. Me sinto incapaz, fraca, incompetente... Aff, melhor nem pensar nisso.

Sem contar a fubazada que foram meus últimos dias. Computador quebrado, aumento de aluguel, sem celular, telefone fixo com defeito também... Pra completar o babado, passei mal e tenho fortes indicios de estar sofrendo de hipertensão (é, isso mesmo, aos 21 anos). Desgraça pouca é bobagem, né?!

Entretanto, mesmo sem saber desse meu "desespero", meu pai me mandou umas coisas pelo Windows Live que me trouxeram um certo conforto. E eu vou botar aqui pra compartilhar com vocês o que ele disse:

"Filha, o que seria uma história de sucesso? Um estágio, um emprego, um namorado, um carro...?! Sucesso acontece quando não nos sentimos derrotados.

Lembre-se disso: "Nossa maior fraqueza está em desistir. O caminho mais certo de vencer é tentar mais uma vez" (Thomas Edison)

Bjos do seu paizão que te ama muito"


Tá bom, mas e daí?! Bem, daí que a moral da história é essa... Sempre tem uma solução. Pra tudo. E se a solução não é aparente, tenha certeza de que alguém te ama e pelo menos vai te confortar se der tudo errado. Mesmo sendo o super azarado, como eu, uma hora essa sorte há de mudar. Tem que acreditar, mesmo com pés na bunda e tudo mais... Minha vida vai mudar.

Com certeza.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Dia da Independência!


Então, 7 de setembro. Dia da independência do Brasil. Aquilo que a gente aprende na escola, que D. Pedro I foi lá na margem do Rio Ipiranga e gritou: "Independência ou morte!" e foi uma festa, e o Brasil comemorou tipo Copa do Mundo, coisa linda. (Aham, tá bom...)


Mas na verdade eu queria falar de independência do nosso jeito. E falar um pouquinho de mim.


Em agosto fez 3 anos que eu 'saí de casa' e fui morar "sozinha". Durante 1 ano e meio, fiquei na casa do meu irmão, junto com ele, minha cunhada e meu sobrinho. Eles me tratavam muito bem, não cobravam nada de mim, na questão de horário, organização... Era bem legal, mas por motivos de força maior, tive que deixá-los e fui morar numa república.


Que mora em república sabe, o ritmo é diferente. É uma mistura de responsabilidade com irresponsabilidade, de liberdade com prisão... E a gente meio que se perde. Assim que fui morar lá, me iludi com a idéia do "estou morando sozinha, ninguém vê o que eu faço, sou dona do meu nariz". Achei que era independente. Mas como eu disse, isso foi ilusão. Foi nesse momento que eu tive que aprender a me cuidar, a cozinhar, a arrumar cama, lavar louça... Ai como eu senti falta de Eliete (o anjo que trabalha aqui na casa dos meus pais há 20 anos).


Tá, mas e daí?! Bom, daí que eu achava que era a superindependente. Moro "sozinha", sou feliz. Aff, mas nãe era (e não é) nada disso. Moro longe dos meus pais porque preciso e, além de tudo, ainda sou sustentada por eles. Ou seja, meu dia da independência ainda não chegou.


E pra você, o que é independência? De quem/do que você depende ainda? A sua independência já chegou?


;)

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

I'm not my hair


Oi pessoas, tudo bem?! Esse post é meio que a reprodução de uma discussão que eu participei em uma comunidade do Orkut chamada "Meninas Black Power".


A história é a seguinte: Um menino criou um tópico para que os mebros da comunidade convencessem a irmã dele a assumir o cabelo Black Power. Mas eu dei minha opinião, dizendo que é uma escolha pessoal e se a menina se sentia bem de cabelo liso, não tinha porque mudar. Daí veio o babado, porque ele disse que "é quase certeza que negros de cabelo alisado têm um pensamento vazio". Enfim, isso deu uma fubazada e rendeu...


Daí eu resolvi postar aqui parte da declaração de uma das pessoas que respondeu o tópico, na minha opinião, de maneira brilhante. Eis o que a Cris falou:


"...independente da maneira como você escolha deixar seu cabelo, e friso aqui a idéia de escolha, ele não vai mudar a maneira como você é, como você pensa, desde que você esteja consciente do que está fazendo. 'Ahh, resolvi alisar meu cabelo. Bom, decidi isto porque me sinto bem assim, porque me agrada esteticamente... E não porque é uma maneira de ser aceita, de me condicionar a uma massa de iguais'

A sua aparência não pode ser uma agressão a sia mesmo! O contrário é igualmente válido... Se eu decido optar por um black power deve ser porque gosto, acho bonito, penso ser importante valorizar meus traços de negritude e por aí vai... E não porque penso que o negro só pode usar o cabelo assim ou será um alienado... É óbvio que andar por aí com seu black nas nuvens também implica um posicionamento político, mas antes de tudo, é uma escolha individual!"


E isso não vale só pra quem usa cabelo black, como eu, mas para todos que, de alguma forma se vêem nessa posição. As vezes algumas pessoas chegam a pensar que existe um preconceito por quem usa cabelo 'assim ou assado'. Mas na na verdade, "somos todos iguais, braços dados ou não". (hehehehe, boaaa piadista!)


Então pípou, a moral da história é essa: Viva as diferenças, com cabeo liso, crespo, longo ou curto, feio ou bonito.


Você não é seu cabelo.


quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Conversa de botequim

Inspirada em Diogo Nogueira (liiindo!), resolvi criar esse post. Na verdade, não é nada sobre a música (que por sinal eu estou escutando agora), mas sobre os recentes acontecimentos relacionados ao que mais se consome em botecos e afins: cerveja e cigarro.

Então, nem vou escrever muito. Só expor os assuntos.

1) Lei Seca - E aí, você acha realmente necessária? Já foi parado em alguma?

2) Lei do Cigarro: Proibição do fumo em lugares públicos, ou seja, nem a "Área de Fumantes" existe mais. - Isso vai diminuir o número de fumantes ou vai prejudicar os comerciantes? Você acha necessária a aprovação dessa lei também no Rio de Janeiro?

O que que VOCÊ acha?

É isso. Let's talk!

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Gente Lesa gera... Gente lesa!

Profeta Gentileza. Aquele cara louco, que perdeu a família num incendio de um circo em Niterói e passou a andar por aí, pregando o amor e as coisas boas. A frase que ele deixou e virou um mantra pra várias pessoas é: Gentileza gera gentileza.

Tomei a liberdade de adaptar essa máxima das pessoas gentis e afirmar (ironic Mode ON, ok?!) : Gente lesa gera gente lesa. Isso mesmo gente, pessoas lesadas geram outra mais lesadas ainda. Duvida disso?!

Hehehehehehe, não posso provar isso pra ninguém. Aliás, isso é uma grande brincadeira. Mas vou postar 2 vídeos que eu acho que resumem bem o que eu to falando.

Carla Perez e o I de "iscola"

video

Águaaa na Carol

video

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Diga-me com quem andas...

Se tem um ditado que o povo (leia-se nossos pais e avós) adoram falar é o famoso: "Diga-me com quem andas e eu te direi quem és". E eu gostaria de saber aqui até que ponto isso é encarado por nós como uma verdade máxima.

Não sei quantos vão ler este post, mas é fato que pelas nossas vidas passam milhares de pessoas (e quando digo milhares não estou exagerando) e de fato algumas delas se tornam especiais, acabam sendo nossos amigos. Seja da época de pré-escola, da escola, do ensino fundamental, ensino médio, cursos que fazemos e até na faculdade, nós conhecemos pessoas que nos marcam e fazem surgir um dos sentimentos mais bonitos: a amizade.

Mas como nasce uma amizade? Acho que essa é uma daquelas perguntas mais sem resposta que existem. Sinceramente, não sei como nasce uma amizade. Tem gente que fala que são pelos gostos em comum, mas eu acho essa "verdade" tão forçada. Tem gente que é seu amigo e não tem nada a ver com você, que não gosta de nada que você gosta e que simplemente vocês se encontram e acontece. É assim.

A amizade é uma coisa tão bonita, que até na Bíblia (sem entrar no mérito da religião, ok?!) é citada como uma prova de amor. Em certa passagem, ela diz que "ha amigos mais chegados que irmãos" e ainda em outra parte, ela conta a história de Jó e diz que "Deus o abençoou porque ele orava por seus amigos". Por isso eu acho que a gente se apega tanto aos amigos, eles são parte de nós, como se fossem nossa família. Mas se nem na família, que temos o mesmo sangue, nós somos iguais, quanto mais os amigos. Acredito que as diferenças nos completam.

Tá, mas e daí?! Ok, vamos esclarecer o porque desse post.

Eu fui motivada justamente por ser uma pessoa que tenho amigos que são COMPLETAMENTE diferentes de mim. Gosto deles, ando com eles, mas não sou igual. Aliás, quem é igual a quem, né?! Mas então... Essa coisa do "Diga-me com quem andas..." nem sempre se aplica, especialmente a nós, que já passamos por tantos lugares, já estudamos e trabalhamos com tanta gente e convivemos com pessoas num dos lugares (na minha opinião) com mais diferenças entre as pessoas: a universidade.

Agora é com vocês, ou melhor, com a gente. Com quem você tem andado? Eles dizem quem você é? Você influencia ou é influenciado por eles?

Bjoos

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Pra começar

Então... Primeira postagem do nosso blog. Pra mostrar ao que veio, não é?!

Antes de tudo, queria deixar claro aqui o motivo da criação deste blog. Meu objetivo era encontrar um espaço pra debater e conversar, com gente da minha idade, sobre os mais diversos assuntos. E até por isso o blog não se chama "meus vinte e poucos anos", mas sim Nossos Vinte e Poucos Anos. Porque é o nosso espaço, pra todo mundo comentar, debater, concordar, discordar, rir, chorar e se divertir. Juntos.

E sobre o que vamos falar?! Sobre tudo. Tudo mesmo. Religião, Moda, Sexo, Drogas, Emprego, Piadas, Família, Namoro, Bizarrices, Política, Natureza, Amizade... Enfim, tudo.

Queria deixar registrado também que basta querer, me mandar um e-mail (thnadi@gmail.com) pra poder participar e postar no blog, ok?!

E também dizer que é terminantemente proibido ofensas à religião, fé e time de futebol das pessoas.

Então é isso. Bem Vindos! E vamos lá, todosjuntos.